Ator de Glee casa com companheiro em Nova York

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

O ator Cheyenne Jackson, que interpreta o técnico do coral "Vocal Adrenaline" no seriado Glee, está oficialmente casado. O ator mantinha há 11 anos um relacionamento com seu companheiro, Monte Lapka, mas aproveitou a legalização do casamento gay no estado de Nova York para finalmente oficializar a sua união no último sábado, 3.

Logo depois do casamento, o ator postou no Twitter a foto acima, com a seguinte legenda: "É oficial, após 11 anos juntos, Zora não é mais um filho bastardo. Me casei com o melhor homem que eu já conheci", escreveu. Zora é o cachorro do casal.

Com a legalização do casamento gay em Nova York, Cheyenne disse que era sua oportunidade de ter o casamento que sempre sonhou e disse: "Algo pequeno e íntimo. Meu casamento dos sonhos são apenas meus melhores amigos e música boa", completou.

Fonte: Ego

David Beckham exibe corpão sarado em dia de surfe com os filhos

David Beckham tirou esta segunda-feira, 5, para surfar com os filhos na praia de Malibu, na Califórnia. Sem camisa, o ex-jogador de futebol exibiu seu tanquinho e mostrou que está em ótima forma. Ô lá em casa...





Fonte: Ego

Lindsay Lohan tatua letra de música no corpo

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Lindsay Lohan tatuou sobre o lado direito de suas costelas uma frase da música "I Go to Extremes", do cantor Billy Joel, de 1989.

A atriz fez a tatuagem em um estúdio de Los Angeles, Califórnia. De acordo com o site "TMZ", Lindsay disse que a letra é importante para ela porque a música representou tudo o que ela passou na vida e que hoje está focada".

"Claro como um cristal, afiado como uma faca Eu sinto que estou no auge da minha vida", diz a tattoo.

Fonte: Ego

quinta-feira, 1 de setembro de 2011


Madonna causa frisson ao chegar em festival de Veneza

A popstar Madonna causou frisson ao chegar ao Palazzo Del Cinema para o 68º Festival de Veneza, nesta quinta, 1º. A cantora dirigiu o filme "W.E.", que será exibido no festival, mas fora da competição, que pelo jeito não fez muito sucesso.
A notícia que está rolando por aí é que até rolaram umas vaias.




Fonte: Ego.

55% dos brasileiros são contra a adoção por casais homossexuais

segunda-feira, 8 de agosto de 2011


Ainda que o casamento entre pessoas do mesmo sexo tenha sido aprovado recentemente pelo Superior Tribunal Federal, o preconceito aos casais gays permanece. Dados divulgados pelo IBOPE nesta quinta-feira (28), demonstram que 55% da população brasileira ainda é contra a união estável entre gays, não concordando também com o direito à adoção infantil por homossexuais. Mas por que tanta resistência a um ato que só beneficia as crianças sem família? “O preconceito está internalizado nas pessoas, normalmente nas mais velhas, porque elas ainda associam a homossexualidade a um erro de escolha, falta de caráter ou doença”, explica Edith Modesto, terapeuta em orientação sexual e presidente da Associação Brasileira de Pais e Mães Homossexuais. Para a especialista, a adoção de crianças por casais homossexuais deveria ser estimulada por uma série de motivos. “Na hora da adoção, por exemplo, eles não fazem as exigências que normalmente são feitas por outros casais, como idade, cor ou sexo. Afinal quem já sofreu a discriminação na própria pele, não quer que uma criança passe por isso”, afirma. Foi o que aconteceu com o produtor cultural Antônio Sandro dos Santos, 49. “Nós fizemos questão de adotar uma criança negra. A princípio queríamos uma que tivesse por volta de 1 ano, mas quando encontramos o Vítor foi mágico. Ele estava com 7 na época e três dias depois já fazia uma visita para nós aqui em casa”, relembra. Ele e o companheiro adotaram o menino há 5 anos, quando a relação entre os dois beirava os 14 anos de duração. “Logo quando o Vítor chegou, nós tivemos uma conversa e eu expliquei para ele que nossa família seria diferente. Ele não viu nenhum problema nisso”, relata Sandro. O menino chama Antônio de pai e o companheiro do produtor, de tio. Já a referência feminina de Vítor fica por conta da madrinha e as amigas do pai. “Nós sabemos que a criança precisa ter contato com os dois gêneros, mas não precisa ser, necessariamente, pai ou mãe. Essas figuras podem ser preenchidas por pessoas próximas e queridas da criança. Se não ter a figura paterna ou materna presente fosse um problema, crianças que são fruto de relações monoparentais (que tem só um dos pais) também seriam prejudicadas, o que não ocorre” defende a psicóloga Mariana Farias, autora de Adoção por Homossexuais (Ed. Jurua), rebatendo as críticas feitas por aqueles que questionam a ausência de um dos gêneros na relação entre os pais homossexuais. Sendo assim, Vítor tem todas as figuras de que necessita para levar uma vida feliz.

Amor e cuidado bastam

Os questionamentos sobre o novo modelo de família formado pela união estávelhomossexual são inúmeros: muitos acham que a orientação sexual dos pais vai influenciar os filhos ou, ainda, associam os homossexuais à promiscuidade. “Uma criança será feliz se receber amor e cuidados. A fonte disso é o que menos importa", reforça Edith. "Quando um gay resolve ter um filho é porque ele realmente quer isso. É uma escolha consciente. A maior dificuldade na criação da criança não está dentro de casa, mas no preconceito que existe fora dela.” Antônio vê apenas o lado bom de formar uma família. "Não me incomodo com a discriminação, nem a percebo", diz. Ele, que sempre foi uma pessoa aberta, tenta passar esse valor também ao filho. A única queixa, como todo pai que se preocupa, é sobre o trabalho que as crianças dão. "Ainda assim, vale muito a pena. O Vítor enche a nossa casa de alegria”, conclui.

"Garotos Noturnos" é a mais nova montagem di Diretor Sebah Vieira

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Galera, uma dica pra quem está procurando um programinha legal:

“UM ESPETÁCULO PARA SE EMOCIONAR”

GAROTOS NOTURNO


Pura e simplesmente uma peça íntima dos Garotos de programas entre homossexuais, com os seus conflitos existenciais. O desafio de evidenciar uma postura perante a família e principalmente perante uma sociedade hipócrita, injusta e cega. É um espetáculo que desnuda as relações humanas e através de seus personagens centrais desmascara as faces que a solidão se utiliza sobre as pessoas. São seres humanos que simplesmente buscam. Busca superar este vazio que a solidão causa, à certeza da espera contínua, perspectiva do nada, o nada que
dói.


Texto de Gladston Ramos e Direção de Sebah Vieira.



SERVIÇOS
Espetáculo : Garotos Noturno
Duração : 70 minutos
Dias : Todas as Quintas- feiras
Horário : 21 horas
Gênero: Drama musicalizado
Estréia para Convidados: 04 de Agosto de 2011 as 21hs
Temporada: 04 de agosto de 2011 à 27 de Outubro 2011
Censura 16 anosValor R$ 20,00
Local : Teatro do Ator
Endereço: Praça Roosevelt, 172 Consolação SP
Tel. 011 3257-2264
Rampa de acesso à Deficiente – SIM
Estacionamento Conveniado – SIM
50% de desconto para Terceira Idade e Estudantes

Petição contra o Dia do Orgulho Hétero

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Vazou da ABGLT ontem, dia 3 de agosto, uma carta aberta ao prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), solicitando o veto do projeto de lei do vereador Carlos Apolinário (DEM), aprovado dia 1 de agosto, na Câmara, que cria o Dia do Orgulho Heterossexual. Kassab informou que aguarda parecer de sua assessoria técnica legislativa antes de definir sua posição. Ele tem 15 dias para definir se sanciona ou veta. Caso o prazo estoure, o projeto volta à Câmara para ser promulgado pelo presidente sem necessidade de nova votação. Se Kassab vetá-lo, os vereadores ainda podem derrubar o veto e transformar o projeto em lei mesmo contra a vontade do prefeito. O Dia do Orgulho Hétero, a ser comemorado no terceiro domingo de dezembro, foi um dos assuntos mais comentados da internet mundial ontem. Os temas "orgulho hétero" e "invente um orgulho" estiveram o dia todo entre os trending topics do Twitter no Brasil e no mundo.

Há motivos óbvios para existir o Dia do Orgulho Hétero, mas não para criar o Dia do Orgulho Hétero pela simples preservação da moral e dos bons costumes. Um grupo de militantes na internet, fizeram um abaixo-assinado onde pediram o veto do projeto. Hoje, dia 4 de agosto um pouco mais de 13 horas da tarde já são 2.058 assinaturas, e o número só está crescendo.

Veja o comentário de um dos participantes da petição:

"Os homossexuais estão se sentindo ameaçados pelos héteros, essa lei foi criada somente para ridicularizar o Dia do Orgulho Gay. Os héteros não se importam realmente com a data, eles já nasceram com todos as leis em prol deles. Qual seria a razão para criar um dia do orgulho hétero, quando ser hétero é poder ter orgulho de sair abraçado com seu (a) namorado (a) na rua e poder declarar-se heterossexual? O que nós precisamos é de um Dia do Orgulho do Cidadão, que é honrado, não mata, não rouba e acima de tudo respeite as pessoas como seres humanos. Independente de classe social, cor, descendência e opção sexual."


Se você quiser assinar o link está logo abaixo:
http://www.petitiononline.com/orhtnao/petition.htmlual contra o "dia do orgulho hétero" em São Paulo

"Não haverá beijo gay porque o público não aguenta mais viado em novela" diz Aguinaldo Silva, autor da Globo

quarta-feira, 3 de agosto de 2011


Entrevista da VEJA com o autor Aguinaldo Silva.




O que mais afasta o público das novelas?
O povo não aguenta mais viado em novela. Chega! Tem muito. Tem novela que tem seis 'viados'. As pessoas não aguentam mais isso. E geralmente os gays são todos iguais. São cópias dos héteros, querem casar, ter romance, engravidar e parir um filho nove meses depois. São gays chatos. Outra coisa que está cansando o público é o vilão desenfreado, que faz maldade sem nenhuma justificativa. Faz por fazer. Não é nem psicopata. O bom vilão tem que ser meio canastrão. Tem uma vila que eu adoro, que é a Nazareth Tedesco (personagem de Renata Sorrah em Senhora do Destino), que era engraçadíssima porque tudo que ela fazia dava errado. Eu me inspirei muito no Tom do desenho animado, que tenta há anos tenta matar o Jerry e sempre se dá mal.

Mas em Fina Estampa não vai ter um gay?
Tem um só, que é o Crodoaldo Valério, que quem está fazendo é o Marcelo Serrado. Eu fiz questão que fosse um ator hétero porque eu acho que ele vai me surpreender. Antes da novela estrear, já tem gay entrando no meu portal e escrevendo que não viu e não gostou porque eu criei um homossexual estereotipado. Como eu falei antes, acho ridículo tratar o gay como um personagem padrão. Eles tem seus códigos, seu universo. São pessoas diferentes. A graça desse personagem é que ele tem uma paixão devastadora pela Teresa Cristina (Cristiane Torloni), que o trata miseravelmente mal. Alguns gays têm essa mania de venerar as mulheres que o maltratam. Eu queria mostrar esse tipo de gay. As pessoas vão odiá-lo porque vai fazer mil maldades em nome dela, porque ele adora aquela mulher que é um horror, ela é péssima.

Na sua novela não terá o tão esperado beijo gay?
Eu estou começando a ficar irritado com essa coisa do beijo gay. Acho que tem uma torcida para que não aconteça, para que o assunto continue durando, mas as pessoas não aguentam esse assunto e se depender de mim ele acabou. A novidade é essa: não vai ter beijo gay em Fina Estampa, pode escrever. Não tem lugar no mundo em que os gays sejam mais ousados do que no Brasil. Aqui os gays não respeitam as fronteiras. Eles chegam no hétero e cantam mesmo, e se colar, colou. Porém, existe essa hipocrisia de você não poder mostrar um beijo gay na televisão. Por debaixo do pano vale tudo, mas publicamente é essa coisa hipócrita. A sociedade brasileira é assim e a tevê não quer correr o risco de perder o público.


Miley sem papas na língua

terça-feira, 2 de agosto de 2011




Galera, ontem mesmo nós comentamos aqui no blog sobre a tatuagem da nossa eterna Hannah Montana. Por meio dessa tattoo, Miley Cyrus mostrou que não apoia atitudes preconceituosas e que todo tipo de amor é igual.

Miley recebeu uma série de mensagens positivas de seus fãs e homoafetivos de todo o mundo, mas também recebeu muitas críticas negativas. Entre os comentários enviado, um recebeu resposta. Uma seguidora da cantora na rede social postou o texto "Leia a Bíblia e me diga onde Deus diz que homossexualidade, incesto e poligamia é ok". Sem papas na língua, Miley respondeu a fã usando o mesmo argumento base: "Onde diz na Bíblia que é para julgar os outros? Ah, não diz. Deus é o único juíz, querida".

Dia do Orgasmo foi comemorado neste domingo

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

31 de julho foi o Dia Internacional do Orgasmo. A data foi criada por redes de sex shops do Reino Unido, após pesquisas revelarem a insatisfação das inglesas com sua vida sexual.

Como vocês comemoraram o dia de ontem?


Miley Cyrus divulga foto de sua tatuagem apoiando casamento gay

Cantora tem um pequeno sinal de igual tatuado em um dos dedos




Miley Cyrus dá o maior apoio para os casais, e diz que "todo amor é igual". A cantora publicou em seu Twitter uma foto, no último sábado, dia 30. Miley tem um sinal de igual (=) tatuado em no dedo. Também em seu Twitter, Miley vem postando recentemente fotos de dois cachorrinhos da raça husky siberiano que ela adquiriu recentemente.

Beijo gay incomoda mais na TV do que na vida real do que na vida real

É fato que o beijo gay está incomodando mais na TV do que na vida real. Uma pesquisa realizada pelo Data Popular constatou que as pessoas se incomodam mais em ver um beijo gay na TV do que ao vivo.

O instituto, que é especializado em estudos com a classe C e mercados emergentes, resolveu medir qual o impacto da homossexualidade na TV com clientes como Globo e Record.

A reportagem teve acesso com exclusividade à pesquisa, que foi realizada em julho com 3.000 pessoas. Nela, 45% dos homens dizem que se sentem incomodados ao verem duas pessoas do mesmo sexo se beijando.

Destes, 25% se dizem "muito incomodados" com a cena na vida real. Já entre as mulheres, 41% se incomodam com gays se beijando na rua e 19% se dizem "muito incomodadas". Quando o beijo gay é na TV, a rejeição aumenta.

Fotne: Jornal Floripa

Parada gay de Jerusalém pede liberdade sexual e critica Teerã

sexta-feira, 29 de julho de 2011



Ao contrário das paradas do Orgulho Gay de São Paulo e Tel Aviv, os participantes de Jerusalém não capricharam ontem na purpurina nem no salto alto, mas ao som de tambores conseguiram levar suas bandeiras sócio-políticas até as proximidades do Parlamento israelense, o Knesset. "Jerusalém tem menos para festejar e mais para protestar", explicou Anat Kremein, uma das coordenadoras da marcha. "Nós estamos caminhando sob uma bandeira de igualdade e justiça social para todos em Israel", disse o congressista e homossexual assumido Nitzan Horowitz à quatro mil pessoas reunidas no Parque da Independência, zona central. "Esta marcha é um símbolo para esta cidade, que algumas pessoas querem transformar em Teerã (que não admite homossexuais). Mas nós marchamos sob a nossa bandeira de que Jerusalém é livre e permanecerá livre e igualitária para sempre", discursou o político israelense.

A data foi escolhida para coincidir com o aniversário de dois anos de um ataque contra jovens gays em Tel Aviv no Bar Noar. Dois jovens morreram, 15 ficaram feridos e até hoje o assassino continua impune. Por isso, um dos principais objetivos do evento foi pedir a aprovação dos congressistas de uma legislação que proteja os homossexuais.

Participantes mostram descontração na Parada Gay de Jerusalém. Foto: AFP


"Esta é a primeira vez no ano que marchamos pelas ruas exatamente como quem somos e do jeito que somos, marchamos de mãos dadas com muitas comunidades em Israel que estão lutando por seus direitos", disse Yonatan Gher, diretor-executivo da organização Jerusalém Casa Aberta, responsável pelo desfile. O tema deste ano foi "Caminhos Intercruzados", para abordar não só a luta dos gays pela proteção contra crimes de discriminação, como também para apoiar a luta da sociedade israelense que clama por melhores salários e alugueis menos exorbitantes.

"Todo mundo deve ter seus direitos garantidos, não importa sua preferência sexual ou religiosa", disse Omer Eilam, 26 anos, ao Terra. Ele e o irmão, Guy, 31 anos, vieram de Tel Aviv especialmente para participar do evento. "Não acho justo que as pessoas se sintam livres somente em Tel Aviv. O respeito à orientação sexual deveria ocorrer em todo país e por isso resolvemos tomar parte desta luta", disse Omer. Em junho deste ano, a marcha em Tel Aviv conseguiu reunir 70 mil pessoas.

O jovem israelense trabalha como voluntário em uma associação de apoio a adolescentes da periferia de Tel Aviv e explica que é mais complicado assumir a homossexualidade fora das grandes cidades. "Muitas vezes eles não têm com quem conversar sobre seus anseios com a própria família, e por isso viajam até Tel Aviv duas vezes por semana para receber nossa atenção", conta Omer.

Idênticas: Lady Gaga diz que era confundida com Amy Winehouse

quinta-feira, 28 de julho de 2011


Duas divas de estilos tão diferentes, Lady Gaga e Amy Winehouse são tão parecidas que a loira era confundida com a morena antes de ser famosa. Isso segundo a própria Lady Gaga revelou em entrevista a uma rádio dos Estados Unidos nesta semana, comentando a morte da diva inglesa do soul.

“Eu não era ninguém quando ela surgiu. Eu andava pela rua e as pessoas gritavam ‘Amy’”, contou Gaga. Na entrevista, Mamãe Montro revelou ainda que tinha certa ligação subjetiva com a cantora inglesa: “eu lembro que me sentia como se não estivesse sozinha, já que ela era tão diferente”.

Gaga ainda fez a fofa e pediu aos fãs de Amy Winehouse para que eles “não matem a estrela” e “cuidem de sua alma”. Amy foi encontrada morta aos 27 anos em sua casa, em Londres, no último sábado, 23. A causa da morte ainda não foi esclarecida nem mesmo com a autópsia.

Homossexualidade no Futebol

quarta-feira, 27 de julho de 2011


Não adianta negar nem fingir que não existe, a homosexualidade sempre esteve no mundo do futebol. Não é de hoje que há boatos de jogadores em baladas gays, envolvidos em fuxicos ou coisas do gênero, mas com o tema tão em voga, esse assunto é cada vez mais latente na sociedade e sua luz também chega ao futebol – um esporte de massa e que tomo mundo gosta, ou pelo menos acompanha, nem que seja um pouquinho.

A polêmica mais recente aconteceu na última rodada do Campeonato Brasileiro, onde um jogador foi chamado de “viado” pelos torcedores do time adversário e, só pra contrariar, fez um gol merecedor de placa.

Infelizmente, atitudes como a desses torcedores são corriqueiras e devemos atentar que independente da opção sexual de cada um, o que importa é a sua competência profissional e seu caráter.

A própria torcida são paulina sofre com o estereótipo de “bambis” e eu, Manoella, não vejo problema algum. Se há algum problema nisso, é um reflexo da sociedade hipócrita que vivemos hoje, onde a tolerância é enaltecida, mas não praticada. Em conversas de mesa de boteco com companheiros de paixão, chegamos a sugerir que o animal veado fosse adotado como um dos símbolos do time...

Já tivemos jogador que teve suas atuações rotuladas, mas enquanto ele jogava bem, até 2006, ninguém falava nada dele, mas a partir do momento em que suas atuações se tornaram sofríveis, a própria torcida tricolor tripudiava do atleta o chamando de apelidos jocosos ou até mesmo não o ovacionando quando seu nome era relacionado na escalação dentro do Morumbi.

Em paralelo ao fato do São Paulo ser chamado de “bambi” ou esse ou aquele jogador ser estereotipado como gay, o que importa, realmente (dentro ou fora do futebol), é a competência do profissional e as qualidades do ser humano, sem se importar com sua escolha sexual.

Em um momento onde a tolerância é exigida na sociedade não podemos nos cegar e dizer que isso não se aplica ao futebol, pois o que eu quero é ver gol, independente do atleta que está em campo ser homossexual ou não.

Lady Gaga usa medicamento anti-calvície

terça-feira, 26 de julho de 2011


Lady Gaga está usando um medicamente anti-calvície chamado Rogaine, o fato de trocar a cor de seu cabelo constantemente acabou prejudicando e destruindo-os. A americana costuma usar perucas para esconder os danos que o seu estilo provocou ao couro cabeludo ao decorrer dos anos.

Mas agora Gaga está disposta a reverter os danos, uma fonte afirmou que "com o passar dos anos, Lady Gaga colocou os cabelos sob alto nível de estresse. Ela espera que o medicamente possa reparar os danos". As informações são do jornal inglês The Sun.

Homem que perdeu a orelha fala sobre a agressão

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Ele diz ter sido vítima de homofobia porque estava abraçado com seu filho em uma festa


O homem que perdeu parte da orelha após ser agredido em uma festa em São João da Boa Vista, no interior de São Paulo, contou que não se lembra de como começou a apanhar. Segundo ele, um grupo de jovens achou que ele e seu filho eram um casal homossexual porque estavam abraçados, o que teria motivado a agressão.

- Senti que tomei uma pancada no queixo, eu nem sei de onde veio, se foi uma pessoa, se foram duas se foram três, não sei de onde veio.

Imagens gravadas por câmeras de segurança do evento mostram o começo da confusão. A discussão entre os supostos agressores e as vítimas durou pouco tempo e eles se afastaram. No final da festa, pai e filho voltaram a ser abordados quando estavam próximos a uma barraca de bebidas. Neste momento, as vítimas teriam sido atacadas e o homem teve parte de sua orelha arrancada após ter desmaiado.

- Começaram a falar que a gente era gay. Eu falei que se tratava de pai e filho.

O homem, de 42 anos, vive em Vargem Grande do Sul, cidade próxima a São João da Boa Vista. Ele é separado e seu filho mora com a mãe, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo.

-Será que a gente não tem a liberdade de abraçar um filho?

Os supostos agressores, que têm 25 e 30 anos de idade, admitiram as agressões, mas negaram qualquer tipo de preconceito ou discriminação contra homossexuais. Eles foram indiciados por lesão corporal e vão responder em liberdade.

Fórlan mostra festa uruguaia no vestiário e ‘flagra’ Caceres sem roupa


Após a conquista da Copa América, neste domingo, os jogadores do Uruguai comemoram a vitória por 3 a 0 em cima do Paraguai, em Buenos Aires, na Argentina.

Após a conquista do título, o atacante da seleção Diego Forlán postou no twitter um vídeo do vestiário uruguaio, onde ele e seus amigo comemoravam o título. Porém, o atacante não observou que no fundo do vídeo estava o zagueiro Caceres totalmente sem roupa. Logo depois, Forlán apagou o vídeo do seu perfil.

Clique para ampliar

Reino Unido lamenta morte de Amy Winehouse

sábado, 23 de julho de 2011


Amy foi encontrada morta em sua casa, em Camden, Londres, no dia 23 de julho de 2011, às 16 horas, aos 27 anos. A informação teria sido divulgada pelo jornal The Daily Mirror e confirmada pela polícia inglesa. O jornal The Sun divulgou notícia sobre a morte, informando que a polícia havia sido chamada às 16h 05 min, a uma propriedade ao norte de Londres, respondendo a um chamado para atender uma mulher desmaiada.




Inúmeras personalidades do mundo da música e até da política expressaram, neste sábado, suas condolências pela morte da cantora britânica Amy Winehouse.
A notícia de sua morte começou a circular rapidamente através da rede social Twitter, e personalidades como Sarah Brown, mulher do ex- primeiro-ministro do Reino Unido Gordon Brown, mostraram sua comoção.
"Um grande talento, uma voz extraordinária, uma morte trágica, condolências à família", escreveu Sarah Brown em Twitter.
Muitos fãs foram a Camden Town neste sábado para deixar flores, cartões e ursinhos de pelúcia perto de seu apartamento, já que a Polícia isolou a rua onde vivia a cantora.
"Camden não te esquecerá. Todos gostamos de você e continuaremos gostando. Sua lenda está viva", expressou um cartão.
Um porta-voz da cantora declarou que os amigos estão "comovidos e destroçados" e confirmou que o pai, Mitch, já soube da morte de sua filha e retorna de Nova York.
O produtor Salaam Remi, que trabalhou com Amy Winehouse no disco "Back to Black", escreveu em sua conta do Twitter que é um dia muito triste e que perdeu uma grande amiga e irmã.
Além disso, o comentarista de rock do jornal "The Daily Telegraph", Neil McCormick, expressou neste sábado que ficou "comovido" pela morte da artista.
"É muito triste. É a mais trágica perda de talento que eu possa lembrar", disse McCormich.
A DJ Fearne Cotton declarou neste sábado através de sua conta do Twitter que ainda não estava acreditando na morte de Amy Winehouse e chamou a cantora de "menina especial", enquanto a cantora Myleene Klass afirmou que a artista tinha um "talento excepcional e era uma menina realmente agradável".
"Acabo de escutar a triste notícia da morte de Amy Winehouse. Com apenas 27 anos, é uma terrível perda de grande talento. Envio minhas mais sinceras condolências à família", afirmou o apresentador Phillip Schofield.
A cantora britânica Amy Winehouse foi encontrada morta neste sábado em seu apartamento de Londres, informou a agência de notícias "Press Association".
A artista de 27 anos, ganhadora de sete prêmios Grammy, teve em sua curta carreira constantes problemas com as drogas e o álcool e tinha passado por numerosas clínicas de reabilitação. Por isso, acredita-se que a cantora tenha morrido de overdose.

Carta Aberta ao deputado Jair Bolsonaro

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Por Alice Vianna

(dep.jairbolsonaro@camara.gov.br)

Senhor deputado Jair Bolsonaro,

Escrevo este e-mail para desabafar acerca de fatos que vêm ocorrendo à minha volta, que não apenas me estarrecem como também me chocam – e machucam. Espero que, na posição de defensor do povo, minhas palavras cheguem até o senhor na mais absoluta tranquilidade e respeito... Afinal, escrevo em nome de outros milhares de brasileiros que, tenha certeza, pensam da mesma forma que eu.

No Brasil as coisas sempre parecem acontecer de um jeito estranho. E creio não ser novidade para o senhor que tudo aqui gira em torno do poder. Seja o poder para comprar bens materiais, seja para comandar a mente alheia. O poder parece-me, inclusive, ser o único alimento capaz de saciar a gula de monstros disfarçados de gente que andam por aí.

Um dos pratos em que essa influência é servida é a política, que possibilita que muita gente se farte, se lambuze e se delicie com o poder. Alguns ficam completamente cegos e loucos quando conseguem uma migalha de poder. Outros já o são antes mesmo desse contato. E isso é muito, muito perigoso.

Há tempos que me controlo e tento, sinceramente, não me aborrecer com a política do nosso país (país esse que amo mais que a mim mesma). Mas não deixa de ser repugnante ver que tantos e tantos políticos agem unicamente em prol de si mesmos, tendo em uma das mãos a ganância e na outra a soberba, enquanto olham exclusivamente para seus umbigos.

Meu coração se contrai em dor quando vejo que muitos cospem, em seus pronunciamentos, palavras ilógicas e descabidas – sempre visando o amanhã, sempre almejando as próximas eleições, sempre agonizando por mais um farelo de poder.

O pior nisso tudo nem é o fato desses políticos não cumprirem nem metade do prometido (para ser sincera, minha menor preocupação é com seus colegas de parlamento. Peço desculpas caso a minha sinceridade o incomode...!). Mas o que me indigna de verdade é que o povo, carente de cultura, educação e conhecimento, acredita e se deixa levar pelos impropérios insanos pronunciados por gente assim como o senhor.

Explico...!

O senhor anda disseminando ódio e discórdia pelo meu país, que é “abençoado por Deus e bonito por natureza”. O senhor é responsável por atos que talvez o senhor desconheça (se bem que duvido um pouco disso. Já percebi que o senhor é muita coisa, menos burro).

Graças às suas manifestações e aos seus pronunciamentos, senhor Jair Bolsonaro, tem gente por aí praticando a violência e se respaldando em alegações arrotadas pelo senhor. Para ilustrar, um pequeno exemplo: dia desses ouvi gente dizendo que o correto mesmo é que gays sejam agredidos na rua com lâmpadas fluorescentes (tais quais aquelas que foram utilizadas naquele recente caso ocorrido na Avenida Paulista). Ao fim da frase ouvi um “viva o Bolsonaro”.

Será que em algum momento o senhor parou para refletir na amplitude que suas palavras ganhariam? Será que se arrepende de tê-las proferido?

Não me importo para as teorias em que o senhor se baseia quando ataca homossexuais. Na verdade, eu não apenas não me importo como também estou me lixando para elas (como diria seu colega Sérgio Moraes, do PTB do Rio Grande do Sul, à época relator do Conselho de Ética da Câmara).

Acredito que a liberdade de expressão deva ser preservada ao máximo, e mesmo não conseguindo digerir suas injúrias, eu as respeito. Mas não faço isso por bondade: faço para ser civilizada. Para ser respeitada. Para manter minha dignidade.

(Peço desculpas caso as palavras recém-citadas lhe causem algum estranhamento. Compreendo que termos como civilidade, respeito e dignidade não devam fazer parte do seu cotidiano e vocabulário...)

Não quero que respeite o que eu digo, tampouco tenho a meta de fazê-lo mudar seus pensamentos. Portas e pessoas como o senhor não costumam mesmo dar ouvidos aos outros... Mas se o senhor conseguir ao menos ler meu desabafo até o fim, ficarei grata.

Ninguém é obrigado a gostar de homossexuais, senhor Jair Bolsonaro. A obrigatoriedade é quase sempre chata e quando falamos de apreciar ou não o outro, essa obrigação torna tudo ainda mais pesaroso. Mas lembro que uma das primeiras coisas que aprendi, ainda menina, é que devemos amar o próximo, e respeitá-lo tal qual ele é. Incondicionalmente.

Se eu não gosto do meu vizinho, isso não me dá ao direito de agredi-lo. Ou dá? Se me aborreço no trânsito, isso não significa que eu posso surrar o motorista ao lado. Ou posso? Se me irrito com meu chefe, a irritação não dá brechas para que eu me demita, tendo antes cuspido em sua cara. Ou estou errada?

O senhor não gostar de homossexuais é um direito seu. Mas se além de o senhor não gostar o senhor incitar a violência, usando as pessoas ignorantes como maquiavélicos fantoches, aí a coisa muda. Porque a partir do momento que as suas palavras comandam ações de terceiros, a coisa debanda. Concorda?

Ou o senhor estaria disposto a arcar com as ações ocasionadas a partir de suas palavras? Acredito que não. Como mencionei anteriormente, tenho total ciência de que o senhor é muita, muita coisa... mas não burro (caso eu esteja equivocada quanto a isso, peço perdão!).

Tenho por hábito acompanhar as notícias do meu Brasil pela internet, preferencialmente em sites que permitem aos usuários postarem comentários acerca do assunto abordado. E o que acontece sempre, senhor Jair Bolsonaro, é que cada vez que entro para verificar o que andam dizendo a seu respeito, me assusto quase ao ponto de paralisar.

As pessoas o apoiam, o idolatram e o defendem, senhor Jair Bolsonaro. Querem que o senhor se candidate à presidência do Brasil – como se, em primeiro lugar, o senhor tivesse reais chances de sagrar-se vencedor e, em segundo, como se o fato de o senhor ser presidente fizesse com que todos os gays fossem imediatamente condenados à fogueira.

Vejo que parte da população do meu país amplifica suas palavras, elegendo-o como uma espécie de deus (pobres deuses...). E é aí que encaro, perplexa, a opinião de muita gente. Dizem que homossexuais são monstros, são doentes e que deveriam morrer. E já que não há como todos morrerem simultaneamente, apoiam um massacre em série.

Devo ter lido em algum lugar (por favor, peço que não pense que sou sua fã, ou que me interesso por assuntos que envolvem o senhor! Longe disso, acredite!) que o senhor crê em Deus. Diga-me, então, senhor Jair Bolsonaro: Deus aprecia o que o senhor faz?

Uma das principais premissas que, creio eu, norteia nossa vida, é que Deus é amor. Amor, senhor Jair Bolsonaro, não ódio (é possível enxergar a discrepância entre ambos?). Sendo assim, como é possível que o senhor tenha gosto em disseminar sentimentos ruins? Isso não é contraditório?

Será que algum dia, mesmo que de repente, o senhor parou para pensar que nenhum homossexual teve a escolha entre ser ou não ser homossexual? Ou será que de algum jeito biruta, no seu pensamento maluco, as pessoas se transformam em homossexuais? Como se, do nada, acordassem em uma linda manhã de sol e dissessem “ah, chega, vou ser homossexual agora”...?

Tudo é muito mais complexo do que o senhor vomita, senhor Jair Bolsonaro. Se me permite um conselho, integre-se ao assunto, qualquer que seja ele, antes de sair cuspindo palavras odiosas. Isso trará ao senhor não apenas o reconhecimento de todos, como também será possível que possamos ver que, no fim, o senhor tem um mínimo de inteligência.

Os homossexuais não escolhem ser homossexuais. Na verdade, eu tenho certeza de que muitos marcariam um xis na opção hétero, caso houvesse essa possibilidade. Isso traria menos problemas, menos sofrimento, menos angústias.

Não pense o senhor, senhor Jair Bolsonaro, que é um prazer e uma honra para o homossexual se assumir para seus pais, parentes e amigos. Não pense o senhor, senhor Jair Bolsonaro, que isso não acarreta profundas modificações na vida da pessoa. Não pense o senhor, senhor Jair Bolsonaro, que as feridas ocasionadas por diversos momentos de humilhação cicatrizam rapidamente: elas serão sempre eternas, e haverão de sangrar, hora ou outra.

Hoje pela manhã fui despertada por uma notícia inadmissível: pai e filho foram espancados por um grupo de sete homens, pois os agressores desconfiaram que eles eram gays. Pai e filho espancados. Espancados não porque estavam roubando, ou estuprando, ou matando alguém. Espancados porque sete imbecis supuseram que eles eram gays. Como se isso fosse motivo de alguém levar uma sova!

Sei que o senhor não era um dos sete mentecaptos envolvidos na agressão, mas o fato de não ser o senhor que segura a arma, não o redime da responsabilidade de tê-la carregado. Porque é exatamente isso que o senhor faz, senhor Jair Bolsonaro: carrega armas e incentiva a violência contra os gays. Incita humanos a agredirem humanos, apenas porque alguns pensam e agem de maneira diferenciada.

Torço para que seus filhos e netos sejam heterossexuais. Jamais desejaria que um deles se descobrisse homossexual, porque o sofrimento seria inteiramente deles; jamais seu. Ao contrário do senhor, senhor Jair Bolsonaro, tudo o que eu menos quero é gerar discórdia entre os meus.

E antes que o senhor diga que integrantes da sua árvore genealógica jamais poderiam ser homossexuais, faço aqui minha ressalva: sou filha de heterossexuais e eu e meus irmãos heterossexuais recebemos a mesmíssima educação. Mas em determinado momento da minha vida, descobri que sou homossexual. Ou seja: esse papo de que quem é criado com amor, ou quem é criado por pais heterossexuais não é homossexual é balela. É lorota. É idiotice.

Não me orgulho em ser lésbica, mas tenho orgulho de ser quem eu sou: uma cidadã de bem, que honra suas dívidas e semeia a paz por onde passo. E não me importo se um dia o fato de eu não brincar de casinha como as demais meninas comprometa a minha integridade física, desde que neste momento eu esteja com a consciência tranquila (Sabe o que é isso?).

Espero que um dia o senhor perceba, com o seu coração, que tudo o que Deus quer é que sejamos boas pessoas. Espero que um dia o senhor pare de se importar tanto com o cu dos outros, e se preocupe com o que realmente importa: amar ao próximo como a si mesmo.

Grata pela atenção,

Alice Vianna.

P.S.: Nas últimas eleições, o senhor recebeu pouco mais de 120 mil votos. Isso o transforma no 11º deputado mais votado do Rio de Janeiro, não no senhor supremo da verdade e da razão.

Casamento gay repete ritos do tradicional

quinta-feira, 21 de julho de 2011


Inácio Handell, de 23 anos, e Cesar Dawol, de 32 anos, se uniram formalmente após dois anos vivendo juntos em VG

Como nas uniões tradicionais, os organizadores de eventos Inácio Handell, de 23 anos, e Cesar Dawol, 32, compareceram ao cartório do Distrito de Capão Grande, em Várzea Grande, ontem, ao meio-dia, para o casamento, acompanhados de testemunhas, amigos e parentes.

Eles são os primeiros da cidade e um dos poucos do Estado a se unirem formalmente desde a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), adotada em cinco de maio deste ano, que reconheceu direitos mútuos entre homossexuais e permitiu a oficialização em cartório.

Cesar e Inácio não imaginavam que chamariam tanto a atenção da mídia. A união deles, noticiada na edição de ontem do Diário, aconteceu sob lentes de fotógrafos e de muitas câmeras de televisão.

Entretanto, o nervosismo expressado por ambos não se restringia à presença de jornalistas. “Estamos dando um passo sério, assumindo um compromisso maior que o que já tínhamos vivendo juntos”, justificou Cesar.

Tensos, ambos ouviram a leitura do texto da “Escritura Pública de Declaração de União Estável”, a certidão de casamento das uniões homoafetivas, feita pela escrevente juramentada Patrícia Emerick.

A expressão de sorriso surgiu nos momentos seguintes, quando eles e as testemunham assinaram o documento, sendo aplaudidos pelas testemunhas, parentes e amigos que acompanhavam a cerimônia. Com uma cópia da declaração em mãos, Cesar disse: ”É, agora estamos realmente casados. “Esse ato fortalece nossa união”, completou Inácio.

Por causa do trabalho, Inácio e Cesar tiveram que adiar a lua de mel para o mês de setembro. O roteiro da viagem que ganharam de um dos padrinhos já está escolhido, inclui as praias do estado do Ceará, em especial da capital, Fortaleza.

Para os padrinhos Adriano Guedes e Almindo Filho, a união estável homoafetiva nada mais é que a expressão de sentido de amor e compromisso entre duas pessoas. Isso quer dizer que existe amor, independente de ser homem e mulher ou pessoas do mesmo sexo, observou Guedes.

No caso de Inácio e Cesar, o casamento aconteceu dois anos depois decidirem morar juntos. Eles se conheceram em julho de 2009, durante uma festa. Eles contaram que foi amor à primeira vista, mas somente um mês depois, quando se reencontraram em outra festa, começaram a namorar, e em duas semanas passaram a morar juntos.

Gaga: 'cocaína é o demónio'

quarta-feira, 20 de julho de 2011





Lady Gaga voltou a falar sem papas na língua sobre drogas pesadas como a cocaína, apelidando-a do "demônio". Em conversa telefônica com o homem da rádio Howard Stern, Gaga voltou a admitir que já consumiu cocaína e ecstasy, mas que agora está forte o suficiente para não depender das drogas e que até se sente arrependida.

"Acho que me sentia sozinha e via a droga como uma amiga. Estou arrependida de todas as linhas de cocaína que consumi. Não toquem nela. É o demônio", disse Gaga.

A cantora demonstra o mesmo despreendimento em relação ao dinheiro: "Estou pouco me lixando para o dinheiro. Acabei de chegar do meu apartamento em Brooklyn, que é mais pequeno que este estúdio. Sempre achei que tinha conseguido alguma coisa na vida quando consegui pagar sozinha o meu apartamento de 1100 dólares em Nova Iorque".

Numa conversa cheia de conselhos, Gaga também diz às suas fãs femininas que "Esperem o tempo que necessitarem para começarem a fazer sexo, porque como mulher, não consegues tirar o melhor partido dele até estares nos vintes. Quando tens 17, ainda não sabes operar com o que tens lá em baixo. Nem deves tentar".

Relembre gays escandalosos da televisão brasileira


Seu Peru, Áureo e Painho são exemplos de gays espalhafatosos
Foto: Divulgação

Eles são afetados, cheios de trejeitos e extremamente escandalosos, mas sem eles a televisão brasileira não teria tanta graça. De vez em quando surgem personagens homossexuais caricatos, que invadem a telinha com seus bordões.

Atualmente, Áureo, personagem de André Gonçalves em Morde & Assopra, vem roubando a cena com seu "hello" e suas preces para "Nossa Senhora do Gliter". Antes dele, muitos outros já agitaram, como o Capitão Gay, vivido por Jô Soares.
Clique na aba e relembre alguns desses escandalosos.

Fonte: Terra

Pai e filho são confundidos com casal gay e espancados

terça-feira, 19 de julho de 2011

O pai com 42 e o filho com 18 anos, ambos foram agredidos por um grupo de 7 jovens após serem confundidos com um casal gay, durante uma feira agropecuária em São João da Boa Vista, na última sexta-feira, em São Paulo. O filho recebeu atendimento médico e já foi liberado, mas o pai perder parte da orelha na agressão.

Pai e filho estavam abraçados quando os jovens se aproximaram e perguntaram se eles eram gays. Eles responderam que eram pai e filho, o grupo saiu depois voltaram e iniciaram a agressão. A polícia não conseguiu identificar os agressores. Ninguém foi preso.

Argentina celebra 2.697 casamentos gays em um ano.

sexta-feira, 15 de julho de 2011


Há um ano atrás foi aprovado a casamento gay na Argentina. Os homossexuais receberam o direito de se casar legalmente e fazer adoções. A Argentina foi o décimo país no mundo e o primeiro na América Latina a aceitar o casamento gay. Um ano depois a Argentina celebra 2.697 casamentos gays em um ano.


Este foi o primeiro passo da união civil entre pessoas do mesmo sexo na Argentina. Na véspera do primeiro aniversário da legalização do casamento entre parceiros do mesmo sexo no país, foram exatos 2.697 casais formados por gays ou lésbicas que se casaram na Argentina. A informação foi divulgada hoje pela federação argentina de gays, lésbicas, transexuais e Transgêneros.

Segundo pesquisa, 60% dos casamentos foram entre homens. A província onde mais ocorreram uniões civis entre pessoas do mesmo sexo foi a cidade de Buenos Aires. Em 15 de julho do ano passado, a Argentina tornou-se o primeiro país da América Latina a autorizar o casamento gay. As informações são da Associated Press.

Bolsonaro vai abrir processo contra senadora e anuncia 'kit gay 2'

quinta-feira, 14 de julho de 2011

O deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) afirmou nesta quarta-feira que vai entrar com uma representação por agressão física e verbal contra a senadora Marinor Brito (PSOL-PA) no Conselho de Ética do Senado. No início da tarde, uma representação do PSOL contra Bolsonaro foi arquivada.

"Ela acusou que eu fiz material (panfletos 'anti-gay, segundo Marinor) com recurso público, mas eu nem entrei com pedido de ressarcimento. Ele teve o direito de entrar contra mim, agora é minha vez de entrar contra ela", disse Bolsonaro.

Segundo ele, ela o também acusou de ser corrupto, criminoso e misógino. Bolsonaro ainda alfinetou a 2ª Conferência de Políticas Públicas e Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Tranvestis e Transexuais, ao afirmar que terá outro kit gay.

"Agora vem aí o kit gay 2; 800 homossexuais estarão aqui em Brasília para fazer conferência, desde hospedagem, transporte e comida patrocinados pela União. Projeto da nossa secretária (de Direitos Humanos da Presidência) Maria do Rosário".

Fonte: SRZD

Making Of do ensaio: Dia do Rock

quarta-feira, 13 de julho de 2011



Dia 13 de julho, dia oficial do rock, e claro nós do SerG não poderíamos deixar passar em branco essa data. Preparamos um ensaio especial para você. Mas a gente não mostra tudo, muito menos conta tudo, mas se você quer ver os astros do Rock de verdade representados pelo super modelo Ricardo Mendonça, acompanhe nosso making of no blog deunagay.blogspot.com e o ensaio que será liberado diariamente no foto noticia da vivo! Vocês pediram a gente cumpriu. Rock and Roll Baby.

Veja aqui uma prévia do ensaio sensual desse mês: http://serg.com.br/dia_do_rock.html

Lady Gaga se confunde e acha que a primeira ministra da Austrália é gay

Twitter /Reprodução

Lady Gaga recebe o título de cidadã da Austrália




Cantora teve de regravar uma entrevista por ter entendido mal o sentido de uma palavra.


Depois de receber o título de cidadã honorária de Sidney, Lady Gaga passou por uma saia justa durante um programa de televisão. A cantora se confundiu e teve de regravar a entrevista por ter entendido que a primeira ministra Julia Gillard era gay.

A entrevistadora perguntou a Gaga - defensora ferrenha dos direitos do homossexuais - se ela considerava a política hipócrita por viver com um 'companheiro' na residência oficial, mas banir o casamento gay. Gaga soltou os cachorros mas entrevistadora explicou que o companheiro era homem.

A cantora, então, atribuiu a confusão às diferenças do idioma nos dois países dizendo que 'companheiro' (partner) nos EUA, geralmente, é usado para parceiros gays. "Estamos em 2011, vamos superar isso", respondeu na segunda tentativa, de forma mais diplomática.


FONTE: EGO

Rio se prepara para ser capital mundial do turismo gay, diz 'The Guardian'

terça-feira, 12 de julho de 2011

O jornal relata a festa de lançamento da semana da diversidade, "uma celebração das diferenças culturais e étnicas da cidade e uma tentativa de posicioná-la como a capital global do turismo gay".


O jornal relata ainda que nos últimos meses houve "uma avalanche de iniciativas amigáveis à comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais) no Rio: cursos vocacionais para travestis, projetos contra intimidação de estudantes gays e lésbicas e uma nova lei proibindo a discriminação nos clubes noturnos da cidade".

A reportagem observa ainda que em fevereiro o prefeito da cidade anunciou a criação de uma secretaria especial para a diversidade, chefiada pelo estilista Carlos Tufvesson, para quem o Rio não é apenas "o destino mais sexy da Terra", mas também um lugar onde a tolerância é natural.

'Fonte de renda'

Casal se beija em casamento coletivo gay no Rio de Janeiro

Prefeitura do Rio de Janeiro promoveu um casamento coletivo gay

Para o Guardian, as iniciativas são "uma potencial fonte de renda" para a cidade. Segundo o jornal, 25% dos turistas que chegaram a cidade no ano passado, ou 880 mil pessoas, eram gays.

"O escritório de turismo da cidade espera elevar esse número ainda mais e publicou folhetos brilhantes com as cores do arco-íris, cheios de fotos de homens musculosos e slogans convidando os turistas a 'viver a sensação do Rio'", diz a reportagem.

O jornal comenta que as iniciativas do governo vêm enfrentando alguma resistência, principalmente entre "a direita religiosa".

Apesar das críticas, porém, as iniciativas do governo também vêm recebendo elogios de ativistas pelos direitos dos gays, observa o diário.

A reportagem cita uma declaração da top model transexual Lea T. durante o lançamento da semana da diversidade do Rio, para quem "é realmente incrível que o Brasil – um lugar que chamam de país de terceiro mundo – esteja fazendo algo que poucos países fizeram".

Fonte: BBC